Celebridades

Veja as últimas imagens registradas do cantor sertanejo João Carreiro antes de sua morte, ele teve um c… Ver mais

João Carreiro, renomado cantor sertanejo, enfrentou com bom humor uma delicada cirurgia cardíaca momentos antes de seu trágico falecimento. Mesmo diante da situação, o artista compartilhou um vídeo nas redes sociais, brincando sobre a roupa hospitalar floral e descontraído ao lado da esposa, Francine Caroline.

Em tom leve, ele tranquilizou os fãs explicando que se ausentaria temporariamente das redes devido à intervenção no coração, assegurando que tudo estava sob controle divino.

A notícia do passamento de João Carreiro aos 41 anos abalou as redes sociais, tornando-se um dos tópicos mais comentados no Twitter. Internautas lamentaram a perda do artista e elogiaram sua contribuição à música sertaneja.

O cantor revelara a necessidade de uma cirurgia para corrigir um prolapso na válvula mitral, procedimento considerado benéfico para preservar sua saúde.

Apesar das tentativas de reanimação, João Carreiro não resistiu, deixando para trás a esposa e uma filha. Em um momento de esperança, Francine informou que a cirurgia fora bem-sucedida, mas pediu orações posteriormente. Na madrugada, a triste notícia do óbito foi compartilhada, marcando o encerramento prematuro da vida do artista.

O velório de João Carreiro, uma das vozes mais brilhantes do Brasil, foi anunciado pela família através do Instagram. O luto se estendeu das 7h às 9h na Câmara Municipal de Campo Grande/MS, cidade escolhida por Carreiro para residir. Posteriormente, seu corpo seria encaminhado para Cuiabá/MT, honrando suas raízes mato-grossenses.

A comoção entre fãs e amigos foi evidente nos comentários, expressando a tristeza pela partida do ícone sertanejo. João Carreiro, conhecido por sua parceria com Capataz, será lembrado como um dos últimos representantes da música raiz.

VEJA O VÍDEO ABAIXO:

A notícia do falecimento do músico mato-grossense que escolheu Campo Grande como lar chocou o cenário musical brasileiro, deixando uma lacuna irreparável na música sertaneja.