Notícias

Família que saiu para almoçar e foram encontrados mortos, a polícia diz que o PAI teria m… Ver mais

O mistério envolvendo a morte de uma família em um canavial em Votuporanga, São Paulo, ganha contornos intrigantes conforme a investigação da Polícia Civil avança.

O casal, Anderson Givago Marinho, 35 anos, e Mirele Regina Beraldo Tofalete, 32, juntamente com a filha do casal, Isabelly, 15, foi encontrado morto no interior do carro da família, um Volkswagen Gol prata, em estado de decomposição e com sinais de execução.

Uma das linhas de investigação sugere que a família tenha ido voluntariamente ao local do crime após um possível “encontro marcado” com os assassinos.

A suspeita se baseia nas circunstâncias em que o veículo e os corpos foram descobertos. O delegado Everson Contelli, responsável pela investigação, aponta que o carro estava estacionado normalmente, sem sinais de parada brusca, indicando que a situação inicialmente parecia normal.

A jornada da família começou quando saíram de Olímpia sob a alegação de comemorar o aniversário de Mirele em São José do Rio Preto, porém, o último avistamento do veículo foi em Mirassol, uma cidade fora do itinerário planejado. O delegado ressalta que a possibilidade de um “encontro marcado” a mais de 2 horas de distância do local de origem está sendo investigada, sugerindo que algo saiu do controle durante uma suposta conversa entre Anderson e outra pessoa.

O delegado Contelli destaca que a posição dos corpos indica que Anderson pode ter descido do veículo para uma conversa que posteriormente resultou em sua execução. Mirele e a filha foram atingidas com tiros de fora para dentro do veículo, levantando a possibilidade de que os assassinos só perceberam a presença delas após o primeiro assassinato.

A hipótese de uma ligação para o 190, originada do celular de Isabelly, às 14h10 de quinta-feira, não foi confirmada, pois o telefonema não foi concluído.

Os aparelhos das vítimas estão desaparecidos, levantando a suspeita de que tenham sido levados para eliminar possíveis pistas. O caso permanece sem prisões até o momento, e a polícia continua a investigar as circunstâncias misteriosas que cercam essa tragédia familiar.