Notícias

ELA NÃO RESISTIU: Após internação morre nossa querida CANTORA e deixa o Brasil de t… Ver mais

Na tarde de quarta-feira (24), lamentavelmente perdemos a talentosa cantora afuaense Danielle Fonseca Machado, mais conhecida como Dani Li, aos 42 anos, na cidade de Curitiba (PR). A artista, que dedicou sua vida à música desde os 5 anos, ficou imortalizada pelo seu hit “Eu sou da Amazônia”, no qual expressava as maravilhas do norte através do envolvente estilo brega.

A triste notícia foi confirmada pelo marido da cantora, Marcelo Mira, no início da tarde do mesmo dia. Dani estava hospitalizada há aproximadamente seis dias, após submeter-se a um procedimento cirúrgico na cidade.

Nascida em Afuá, município distante cerca de 4 horas de barco de Macapá, Dani conquistou reconhecimento entre os nortistas devido ao seu singular estilo musical. Sua jornada artística começou aos 5 anos, participando de concursos de calouros em sua cidade natal, onde passou toda a infância. Desde tenra idade, ela e seu pai animavam aniversários e festas familiares com suas apresentações.

Aos 17 anos, Dani mudou-se para Macapá, onde fundou sua segunda banda, a ‘banda sensação’, consolidando-se no estilo brega. Em 2008, o destino musical de Dani cruzou com o poeta amapaense Osmar Júnior, presenteando-a com a música “Eu sou da Amazônia”, tornando-se um sucesso atemporal nas noites do Estado.

Para além da dádiva musical, Osmar desempenhou o papel de produtor da cantora por muitos anos. Foi ele quem a batizou com o nome artístico Dani Li, antes conhecida como “Dani Furacão”. A Rede Amazônica Osmar compartilhou suas lembranças da convivência com a cantora, destacando sua intensa amizade e a descrição emocionada do cantor sobre a perda de uma das maiores vozes que a região viu nascer.

Com a partida de Dani Li, o cenário musical perde não apenas uma talentosa intérprete, mas também uma figura humana marcada pela dedicação, honestidade e humildade.

Seu legado será eternizado nas memórias daqueles que tiveram a oportunidade de vivenciar sua arte e na reverência daqueles que reconhecem a importância de sua contribuição para a cultura musical amazônica.